Córdoba avança nas discussões e reafirma a educação superior como bem público

No terceiro dia da Conferência serão realizadas quatro conferências, quatro fóruns, sete simpósios e 14 mesas redondas

Ruth Shady, do Ministério da Cultura e da Universidad Nacional Mayor de San Marcos, do Peru, Ennio Augusto, reitor da Universidad de Chile, Rui Vicente Oppermanann, reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, do Brasil, e Marco Antonio Rodrigues Dias, ex-diretor da Divisão de Educação Superior da UNESCO abrem o terceiro dia de atividades da III Conferência Regional da Educação Superior (CRES 2018), que acontece em Córdoba, na Argentina.

Todos os quatro, em diferentes espaços do campus da Universidade Nacional de Córdoba (UNC), tratam da relação entre universidade e sociedade. As quatro conferências começam simultaneamente a partir das 9:30 e se encerram às 10:30.

A conferência “Transcendência da civilização Caral para a geração de reflexões na sociedade" será ministrada pela diretora da Zona Arqueológica Caral e diretora da Escola de Arqueologia da Universidade Nacional Maior de São Marcos, Ruth Shady; "1918-1968-1998, o que pode ser feito em 2018 para que o ensino superior volte a ser um bem público?", será proferida pelo ex-diretor da divisão superior da Unesco, Marco Antonio Rodrigues Dias; “Os desafios contemporâneos das universidades em sua interação com a sociedade" ficaraá a cargo do reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rui Vicente Oppermann, que cita a inclusão e a tolerância como grandes pontos a serem mudados pelas universidades. E, por fim, “Reconstruindo a ligação entre universidade pública e Estado”, ministrada pelo reitor da Universidade do Chile, Ennio Augusto Vivaldi Véjar".

Em seguida, às 11:00, reúnem-se os fóruns “Educação Superior e Integração Regional da América Latina e Caribe", coordenado pela reitora do Instiuto Federal Farroupilha, do Brasil; “Educação Superior para o bem viver. Um desafio para o mundo”, que ficará a cargo da reitora da Universidad Veracruzana, do México; “A Educação Superior entre a regulação e a auto-avaliação”; coordenado por Guilhermo Tamarit, reitor da Universidad Nacional del Noroeste de la Provincia de Buenos Aires, Argentina; e “Educação Superior e Globalização: o direito ou mercadoria”. Esse último será coordenado pela reitora da Universidade Federal de Minas Gerais, Sandra Regina Goulart Almeida, que defende que a “educação precisa ser tratada como investimento, como política pública de Estado, capaz de criar condições para o desenvolvimento sustentável, para o fortalecimento da democracia e para a criação de sociedades justas e igualitárias”.

Às 14:30, será a vez do debate se dar em torno dos eixos temáticos da CRES 2018: “A educação superior como parte do sistema educativo da América Latina e Caribe”, coordenado por Maria José Lemaitre; "Educação superior, diversidade cultural e interculturalidade na América Latina", conduzido por Daniel Mato; "Educação superior, internacionalização e integração regional da América Latina e do Caribe", coordenada por Jocelyne Gracel-Ávila; "O papel da Educação Superior no enfrentamento dos desafios sociais da América Latina e do Caribe", sob orientação de Humberto Grimadlo; "Pesquisa e inovação científica e tecnológica como motor do desenvolvimento humano, social e econômico da América Latina e do Caribe", com coordenação de René Ramírez; "O papel estratégico da Educação Superior no desenvolvimento sustentável da América Latina e do Caribe" e "Cem anos após a Reforma Universitária" continuam os debates.

Mais tarde, às 17:00, são realizadas as mesas de debate: “O ensino superior nas fronteiras e a promoção da cultura da paz" (Héctor César Sauret, reitor da Universidad Concepción del Uruguay, na Argentina), "Financiando o Ensino Superior" (Eduardo Sánchez Martinez, reitor da Universidad Blas Pascal, da Argentina), "Educação superior e mobilidade social" (Célio da Cunha, Universidade Católica de Brasília, Brasil), "Artes e Patrimônio Cultural no Ensino Superior" (Ramiro Fernández, reitor da Universidad de las Artes, do Equador) e "Repensando a extensão universitária" (Luiz Amuchástegui, reitor do Instituto Universitário de Ciências Biomédicas de Córdoba, Argentina). No mesmo horário também ocorrem as mesa de debate "Educação superior, migrantes e deslocados" (Olga Bonetti, vice-reitora acadêmica da Universisdad Católica de Córdoba, Argentina); "Educação superior e Direitos Humanos" (Maria del Rosario Badano, da Universidad Autónoma de Entre Rios, Universidad Nacional de Entre Rios, Argentina). Além das mesas de debate “O papel das universidades tecnológicas e politécnicas no desenvolvimento futuro da América Latina e Caribe” (Rubén Soro, decano da Faculdad Regional Córdoba, Universidad Tecnológica Nacional, Argentina), “Educação superior e cooperação ibero-americana” (Daniel Pizzi, reitor da Universidad Nacional de Cuyo, Argentina), “Educação Superior, reformas pedagógicas e diversificação curricular” (Maria Mendé Fernández, reitora da Universidad do Século XXI, Argentina), “Educação superior, pós-graduação e formação de crítica” (Fabián Alejandro Calderón, reitor da Universidad Nacional de La Rioja, Argentina), “Educação Superior a distância e virtual” (Ángel Castillo, reitor da Univesidad Aberta para Adultos e presidente da Associação Dominicana de Reitores) e "Educação Superior, avaliação de carreira e avaliação de instituições e professores" e do Fórum das organizações continentais sindicais universitárias” (Andrés Delich, Organização dos Estados Iberoamericanos).

Organizada em conjunto pelo Unesco-IESALC, pela Universidade de Córdoba, pelo Conselho Interuniversitário Nacional (CIN) e pela Secretaria de Políticas Universitárias (SPU) do Ministério da Educação Argentina, a CRES 2018 é uma das reuniões preparatórias da Conferência Mundial sobre o Ensino Superior, que ocorrerá em Paris, em 2019, e marca o centenário da Reforma Universitária de 1918, em defesa da autonomia e democratização da universidade pública. A conferência debate o atual cenário da educação superior na América Latina e Caribe e as estratégias para a próxima década com vistas aos objetivos do desenvolvimento sustentável e definições da agenda Educação 2030 da Unesco. A CRES está em sua terceira edição. As duas primeiras foram realizadas em Cuba (1996) e Cartagena (2008).

TPL_BEEZ2_ADDITIONAL_INFORMATION